21.6.16

VOZES QUE CLAMAM NO DESERTO: INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS SOBRE OS BATISTAS

Quando a denominação deixou de exercer um certo domínio na formação e divulgação de literatura, por razões diversas, mas sendo uma delas a extinção operacional da JUERP, os batistas no Brasil se viram diante de uma pluralidade em termos de informação e construção do seu pensamento. Houve quem discordasse com elegância da narrativa oficial dos primeiros batistas no Brasil, patrocinada pela Convenção Batista Brasileira e propagada pelo Pr. José Reis Pereira. Estamos falando de Betty Antunes de Oliveira e seu texto Centelha em restolho seco (São Paulo: Vida Nova, 2005). A hegemonia de uma narrativa oficial perdeu espaço quando vozes dissonantes se empenharam em des/construir narrativas obnubiladas pelo discurso hegemônico e centralizador, herança, em grande parte, dos missionários pioneiros que, naturalmente, trouxeram o evangelho, mas também sua cultura e ideologias.

Os textos que elencamos a seguir tem como principal objetivo contribuir para o diálogo entre os batistas. A proposta é trazer autores, desprovidos de reconhecimento denominacional, embora Zaqueu Moreira de Oliveira seja alguém com tal reconhecimento na denominação, mas a grande maioria não é, ou seja, não há um autor responsável pela narrativa oficial, portanto, não há pretensões de ser um texto definitivo. A grande maioria dos textos são frutos de pesquisas acadêmicas dos autores, o que, per si, ganha credibilidade por se tratar de pesquisadores. Assim, esses textos trazem contribuições para se pensar o modo de ser batista por vias alternativas. Lamentamos a ausência, ainda não publicada, da tese de doutorado do Pr. Alberto Kenji Yamabuchi que discutiu a questão de gênero na construção da história dos batistas no Brasil – O debate sobre a história das origens do trabalho batista no Brasil: uma análise das relações e dos conflitos de gênero e poder na Convenção Batista Brasileira dos anos 1960-1980. Tese de Doutorado. (Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo). São Bernardo do Campo: UMESP, 2009.

 ***
Batistas: dominação e dependência

João Pedro Gonçalves Araújo procura entender a dominação que os primeiros missionários norte-americanos exerceram sob os batistas brasileiros. O autor analisa os conflitos e a resistência sob diferentes aspectos.

Do confronto ao diálogo: o estilo batista de ser e a questão ecumênica no Brasil

Nilo Tavares Silva coloca a discussão do ecumenismo entre os batistas brasileiros. Fruto de uma pesquisa acadêmica, o autor traça as dificuldades que os batistas encontram para tratar o ecumenismo.

Histórias, tradições e pensamentos batistas

João Pedro Gonçalves Araújo traz importantes contribuições para uma geografia dos batistas. Fazendo uma leitura atenta dos documentos e atas de igrejas batistas históricas, o autor traça o perfil, as dificuldades, os conflitos e as crises dos missionários e os primeiros batistas brasileiros.

Liberdade e exclusivismo: ensaios sobre os batistas ingleses

Zaqueu Moreira de Oliveira traz a gênese da tradição dos batistas ingleses. As principais questões levantadas pelos primeiros batistas como John Smyth e Thomas Helwys são trabalhadas pelo autor. Um livro importante para compreender a trajetória do movimento batista e suas principais lutas como liberdade religiosa e separação entre Igreja e Estado.

O discurso batista: considerações à luz da análise do discurso

Ierson Silva Batista aplica a análise de discurso aos princípios batistas. Nesse livro o autor procura entender as principais distinções entre doutrinas e princípios para os batistas.

O marco inicial batista: uma discussão historiográfica sobre os primórdios do trabalho batista no Brasil

Fruto de uma pesquisa acadêmica, Marcelo Santos investiga o surgimento dos batistas no Brasil. Olhando para Santa Bárbara D´Oeste/SP e Salvador/BA. Além disso, o autor busca compreender a ideologia dos primeiros missionários no Brasil.

Os batistas: controvérsias e vocação para a intolerância

Organizado pelos pastores Jorge Pinheiro & Marcelo Santos, o livro traz a contribuição de pastores e teólogos batistas em temas como história dos batistas, movimento carismático, questões de gênero e teologia com seu aspecto social. Um livro imprescindível para o pensamento batista.

Quatro frágeis liberdades: resgatando a identidade e os princípios batistas
O autor norte-americano, Walter B. Shurden, trata dos quatro importantes princípios para os batistas: a liberdade da Bíblia, a liberdade individual, a liberdade da igreja e a liberdade religiosa. Com maestria, o autor expõe os fundamentos desses princípios, acentuando a pluralidade que envolve a ação e a teologia dos batistas.

Nenhum comentário: