10.12.10

HOMENAGEM AOS FORMANDOS DO 3º ANO 2010

A vida é feita de etapas. Ontem vocês estavam saindo do Ensino Fundamental, hoje vocês conquistam o Ensino Médio. Muitas coisas mudaram neste período, hoje, mais maduros, vocês estão sendo convocados a fazer a diferença.

O que esperar de uma das melhores turmas do 3º ano que já tive oportunidade de trabalhar nesta Escola? Gostaria que esse meu discurso, que tenho o privilegio de proferir a vocês, fosse a minha última aula. Uma aula em que não vou pedir “silêncio turma”, ou solicitar para alguém ler um texto e nem se sentar. Mas uma aula sobre esperança, sobre desejar sorte, e vocês terão, sobre como ser diferentes, e vocês serão, e fazer a diferença, e vocês farão.

O que valeu a pena neste tempo que passamos juntos não foram, somente, os textos lidos, os filósofos estudados, a bronca dada, a nota conquistada, os apertos de mãos, a amizade cultivada. O que valeu a pena mesmo foi o momento em que uma ideia, uma frase, um pensamento foi interiorizado e, a partir disso, ajudou vocês a ver a vida de outra maneira. O que valeu a pena mesmo foi aquele momento que ninguém sabe quando ele vai chegar. O descobrimento de que sabe, de que conhece. Momento esse que o professor, por mais que seja bom, não consegue forjar no aluno se ele não estiver disposto. E vocês estavam.

A educação nunca pode ser vista como um objeto, mas como uma autopromoção do aluno. Tratei vocês não como um objeto em que se depositam fórmulas, teses, leituras, mas como pessoas dotadas de individualidade, capacidade criativa, energia e espírito crítico. Como dizia Nietzsche, educar é ensinar a ver. E foi isso que procurei fazer. É por isso que a educação nunca poderá ser reduzida a ter um bom emprego, ela sempre será mais que isso, será a construção de indivíduos, será a contribuição na formação de cidadãos. Escola nunca poderá ser uma gaiola onde se prende os alunos, porque os alunos são como pássaros, em busca do voo cada vez mais alto. Educação ensina a treinar os olhos, tornando-os aguçados e críticos para que, desta forma, seja possível fazer uma leitura correta da realidade que está à volta.

Como alunos inteligentes que são, e aprenderam a arte de ver, gostaria de dar uma última aula a vocês com um conteúdo que não está na grade de disciplinas escolares, mas que todos nós somos capazes de aprender.

Eu diria...

Cultivem a excelência no que se propuserem a fazer, não se contentem em serem simplesmente bons; não sejam medíocres ao ponto de achar que sabem apenas o necessário e que está bom assim, deem passos largos, busquem algo que esteja além, ousem sonhar!

Exerçam a cidadania; assumam as responsabilidades de serem construtores de uma cidade melhor, um Estado melhor, de um país melhor. Exercer a cidadania é buscar aprender a fazer a diferença, é quebrar paradigmas, é ousar modificar mentalidades; sejam revolucionários! Usem a capacidade de vocês para fazer o bem ao próximo, mas também para contribuir para que as coisas não fiquem sempre do mesmo modo. Tenha opinião própria sobre os assuntos, não se deixem ser manipulados por ninguém.

Estudem. Moramos num país que, no ranking educacional mundial, é o quinquagésimo terceiro. Há milhares de pessoas analfabetas e ainda outras mil semianalfabetas. É por isso que temos pessoas, sem o Ensino Médio, que podem tirar sua Carteira de Habilitação e deputado semianalfabeto pode ser eleito. Não se contentem apenas com o Ensino Médio, está noite é apenas mais uma etapa de colação de grau e que outras noites como essa seja possível para cada um de vocês.

A escola é assim...

Uns gostaram de vir, mas não souberam aproveitar bem o momento que passaram aqui; outros não viam a hora de sair, não aguentavam mais, o que é compreensível também. Mas alguns aproveitaram o momento, porque perceberam que sem a escola a vida não seria como é, e esses deixarão saudades.

Alguns sentimentos cabem aqui...

Saudade: dos momentos de risadas, brincadeiras e trabalhos.

Esperança: que muitos de vocês sejam ímpares na sociedade de hoje; verdadeiros cidadãos que deem orgulho para está cidade.

Gostaria de encerrar com uma frase de Cecília Meireles: “Há pessoas que nos falam e nem as escutamos; há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossa vida e nos marcam para sempre”.

A recíproca é verdadeira no caso de vocês.

Boa sorte a todos!

3 comentários:

JOSE disse...

Parabens pelo texto, que os formando possam transformar esta sociedade de poucos para muitos. Forte abraço

JOSE NUNES

Alonso Gonçalves disse...

Obrigado José pela participação.
A formatura estava muito bonita.
É mais alguns alunos lançados na escola da vida.

Valeu.

RevelonF disse...

Obrigado Professor pela homenagem, sentirei saudades das suas aulas!!! Aprendi muito, pena que são só 11 anos de estudo, queria mais, pelo menos mais de filosofia. hehe.